Como interagir melhor com seus filhos

O que perguntar no lugar do "como foi seu dia" para um melhor diálogo.

Depois de um longo dia de trabalho e escolar das crianças, saiba o que explorar no convívio quando seus filhos não querem conversar.

Veja exemplos a seguir:

1 – O que fez você sorrir hoje?
2- Você pode me dizer um exemplo de bondade que você viu / mostrou?
3- Havia um exemplo de maldade? Como você respondeu?
4- Todos têm um amigo no recreio?
5- Qual foi o livro sobre o que seu professor leu?
7- Alguém fez algo bobo para fazer você rir?
8- Alguém chorou?
9- O que você fez foi criativo?
10- Qual é o jogo mais popular no recreio?
11- Qual foi a melhor coisa que aconteceu hoje?
12- Você ajudou alguém hoje?

13- Você disse “obrigado” a alguém?
14- O que fez você rir?
15- Você aprendeu algo que você não entendeu?
16- Quem te inspirou hoje?
17- Qual foi a sua parte menos favorita do dia?
18- Você se sentiu inseguro?
19- O que você ouviu que te surpreendeu?
20- O que você viu que te fez pensar?
21- Com quem você brincou hoje?
22- Diga-me algo que você sabe hoje que você não sabia ontem.
23- O que te desafiou?
24- Alguém te ajudou nas atividades hoje? E quem você ajudou?
25- Você gostou do seu almoço?
26- Avalie seu dia em uma escala de 1-10.
27- Alguém teve problemas hoje?
28- Você ficou bravo hoje? Por quê?
29- Quais as perguntas que você perguntou na escola hoje?
30- Conte-nos as duas principais coisas do dia de hoje (antes que possa sair da mesa de jantar!).
31- Pelo que você está ansioso para amanhã?
32- O que você está lendo?
33- Qual foi a regra mais difícil de seguir hoje?
34- Ensine-me algo que não conheço.
35- Se você pudesse mudar uma coisa sobre o seu dia, qual seria?
36- O que fez o seu professor sorrir? O que a fez franzir a testa?
37- Com que tipo de pessoa você acha que estava hoje?
38- O que fez você se sentir feliz?
39- O que o fez sentir orgulhoso?
40- O que fez você se sentir amado?
41- Você aprendeu novas palavras hoje?
42- O que você espera fazer quando acabar suas aulas desse ano?
43- Se você pudesse trocar de assento com qualquer pessoa na classe, quem seria? E por quê?
44- Qual é a sua parte menos favorita da escola? E a favorita?
45- Se você trocasse de lugar com seu professor amanhã, o que você ensinaria na aula?

Fontes:
https://www.revistapazes.com/50-coisas-perguntar/

Designer japonês cria fonte que une de forma inteligente escrita tradicional com alfabeto Braille

Proposta foi criada para os Jogos Olímpicos de 2020, defendendo a implementação em espaços públicos.

O designer japonês Kosuke Takahashi criou uma família tipográfica que une a escrita e Braille que se chama Braille Neue, o que o torna legível para  pessoas com visão normal e deficientes visuais.

Ele defende a implementação em espaços públicos, tanto para ajudar deficientes visuais, quanto para o público geral de familiarizar com alfabeto Braille.

A proposta vai ser utilizada nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020.

 

Fontes:
https://www.designerd.com.br/designer-cria-fonte-que-combina-a-escrita-em-braille-com-a-tradicional/

O motivo de não permitirem fotos dentro de cassinos

O fato ocorre em boa parte dos cassinos mundiais e se resume em segurança e privacidade.

Nem todos que frequentam um cassino querem ser vistos lá, seja por alguém desaprovar ou qualquer outro motivo.

Mas nos últimos anos essas regras começaram a ceder um pouco, visto que privacidade não é comum com a inegável mudança cultural. 

Mesmo assim,  é praticamente impossível um cassino liberar postar algo na internet.

Outro ponto é a segurança dos mecanismos das máquinas dos cassinos.

Tirar fotos significam oportunidades de saber como tudo funciona.

Ao longo do tempo a matemática se mostrou muito útil para conseguir grandes fortunas, fazendo com que grandes cassinos  mundiais tivessem grandes perdas. Mas isso só é possível com fotos, que é onde a proibição entra.

Apesar de um tema muito falado, a liberação de cassinos no Brasil segue sem entusiamo no Senado, principalmente nesse ano de eleição.

Fontes:
https://www.fotografia-dg.com/por-que-nao-e-possivel-tirar-foto-nos-cassinos-de-las-vegas/

Adolescente quase morre e fica paralisado após engolir caracol que causou grave infecção cerebral

Esses caracóis que são uma praga no Brasil gostam de ambientes quentes, úmidos e com sombra, ou seja, o quintal da sua casa e terrenos abandonados são os lugares de reprodução.

Aceitando o desafio de comer uma lesma de jardim, Sam Ballard um  jogador de rugby da Austrália teve consequências devastadoras, que levou a uma infecção parasitária que causou uma grave doença cerebral, o deixando paralisado do pescoço para baixo.

Na época do acidente que ocorreu em 2010, Sam tinha 19 anos.

Ele estava carregando o parasita Angiostrongylus Cantonesis, que pode estar em um caracol, mesmo que você vê no seu jardim ou na rua. 

Esses parasitas geralmente contaminam ratos, mas durante os estágios iniciais no ciclo de vida, eles podem ser carregados por caracóis que comem fezes de ratos, podendo infectar pessoas que o consumiram.

No caso de Sam, causou uma grave infecção cerebral que o deixou de coma por 420 dias.  Acordou paralisado e só foi liberado do hospital três anos depois. 

Sam continua paralisado, e requer grandes cuidados. Apesar do caso ter alguns anos, voltou às notícias após seu pacote de benefícios do seguro na Austrália ser cortado.

O parasita que é vulgarmente conhecido como pulmão de rato, também pode infectar sapos, caranguejos e camarões de água doce, que podem infectar pessoas que consumirem esses animais crus ou mal cozidos. 

O caracol infectado com o Angiostrongylus Cantonensis transmite a meningite eosinofílica. O ser humano participa do ciclo como um “hospedeiro acidental” do verme, ao ingerir alimentos que estejam contaminados por meio do contato com a secreção do animal.

Se você se deparar com desses na sua casa, o controle restringe-se basicamente,  a catação manual periódica desses animais e dos ovos (proteção das mãos com uso de luvas ou sacos plásticos) e posterior eliminação, preferencialmente por incineração. Pode-se também coletar os caramujos e posteriormente esmagá-los e enterrá-los, acrescentando uma colher de cal virgem para evitar a contaminação do solo.

Fontes:
https://www.livescience.com/61957-teen-paralyzed-after-eating-slug.html

Conheça a história do ringtone épico de todo celular Nokia dos anos 90

3 segundos de guitarra do músico Francisco Tárrega que marcou uma época.

Francisco Tárrega é considerado um dos maiores guitarristas clássicos de todos os tempos, e você com certeza conhece sua música mais famosa “Gran Vals”.

Pule para os 12 segundos da gravação:

“Gran Vals” foi umas das músicas que um engenheiro da Nokia e um executivo de marketing testaram em primeiras versões do telefone.

Quando chegou a hora de decidir quais sons iam para o produto final em 1993, a maior vantagem do trecho da música de Tárrega era que ele estava morto há muito tempo. A Nokia precisava de um som livre de direitos autorais caros, e a lei européia libera músicas para domínio público após 70 anos de morte do compositor. Na época a de Tárrega completava 84 anos.

E assim nasceu esse toque nostálgico inconfundível para todos que viveram o início da era dos celulares.

Fontes:
https://quartzy.qz.com/1214753/the-epic-story-behind-nokias-iconic-ringtone/

Gosta de beber? Então você pode viver além dos 100 anos

Em novo estudo, a maioria das pessoas que vivem além dos 90 anos bebem moderadamente.

Uma equipe da Universidade da Califórnia e a neurologista Claudia Kawas, juntou em uma análise os hábitos alimentares, históricos médicos e atividades diárias de 1.700 pessoas que viveram até a década de 90 desde 2003.

De acordo com a pesquisa, beber dois copos de cerveja ou vinho todos os dias está ligado a um risco menor de morrer prematuramente em 18%. Em geral, mostrou que beber elimina as toxinas do cérebro.

“Exceto por alguns tipos de câncer, incluindo câncer de mama, o álcool é bom para quase tudo.”

Provavelmente os riscos são maiores, já que em novembro de 2017, a Sociedade Americana de Oncologia Clínica, emitiu uma declaração advertindo que qualquer consumo leve de álcool, aumentou as chances de desenvolver câncer de cólon, mama, esôfago, laringe e câncer bucal.

As últimas descobertas são tentadoras, mas é melhor ainda não tratar o álcool como remédio para a longevidade.

Fontes:
http://www.newsweek.com/drinking-alcohol-tied-long-life-new-study-813013?utm_content=bufferd2733&utm_medium=social&utm_source=twitter.com&utm_campaign=buffer

Cuidado com testes virais do Facebook, grandes empresas estão roubando seus dados pessoais

'Se você está usando um produto gratuito, o produto é você' Por meio dos seus dados, o Facebook atrai cada vez mais empresas que patrocinam conteúdo na rede social.

“Então a lógica é mais ou menos essa, você usa o Facebook de forma gratuita e , de certa forma você é o produto. As informações que ele coleta, ele fornece para empresas em forma de anúncios”, explica a especialista  Camila Porto, especialista em marketing digital e Facebook Ads.

Os testes, quase irresistíveis, são super compartilhados no Facebook junto com os dados que você  cedeu ao aplicativo para o resultado. 

“Existem várias empresas que usam os testes como ferramenta de coleta de dados de pessoas que estão interessadas em determinada coisa. A partir do momento que eu tenho pessoas que se interessam por esse tema, eu vendo essa base de dados”.

“Muitas vezes essa ferramenta de coleta de dados pode não ser para uma coisa positiva. E há um risco que as pessoas correm quando começam a liberar dados, fotos delas, sem saber para quem esses dados estão indo e o que pode ser feito depois”, pontuou.

As informações, que geralmente consistem em em fotos, data de nascimento, e-mail, entre outros, são para as empresas direcionarem melhoros anúncios para melhores resultados.

” Testes como esses que viralizam no Facebook, em geral, têm a ver com alguma ação desse tipo por parte delas – uma forma de engajar os usuários e, ao mesmo tempo, conseguir acesso a dados deles, que autorizam isso muitas vezes sem ler os chamados “termos de uso”.

Para Thiago Tavares, presidente da Safernet, ong sobre questões de segurança na internet, a maior proteção para as pessoas  em redes sociais é “controlar a curiosidade”.

“É preciso resistir à tentação do primeiro clique, não aceitar fornecer dados para quem você não conhece ou para quem você não tem certeza sobre a destinação que será dada para esses dados”, finaliza.

 

Fontes:
http://www.bbc.com/portuguese/salasocial-43106323